ADM de Redes

Um Blog sobre o dia a dia do Administrator de Redes e Servidores Microsoft

By

Gerenciando Imagens de Máquinas Virtuais com Microsoft Azure.

Olá Pessoal,

O recurso de Máquinas Virtuais do Microsoft Azure possui em sua galeria diversas imagens de Sistemas Operacionais prontos para utilização. A ideia é que você possa, de forma rápida e fácil, criar VMs com Windows ou Linux e iniciar a utilização rapidamente. Para isso, diversas imagens estão disponíveis, como você pode ver na imagem abaixo:

Para organizações que estão tendo o primeiro contato com Windows Azure, essa é uma ótima opção pois diminui o tempo de deploy. Porém, para organizações que possuem imagens já estabelecidas e padronizadas, essa não é a melhor forma de criar Máquinas Virtuais, pois após criar a VM, é necessário configurar todas as características da VM, além de aplicações de negócio.

Para resolver isso, no Microsoft Azure é possível trabalhar de duas formas. Uma delas é simplesmente fazer o upload de um arquivo VHD, que é basicamente o disco de uma VM tradicional do Hyper-V para o storage e criar uma VM com este disco. Porém, essa é a forma de criar apenas uma VM. Basicamente, este processo é utilizado quando você quer mover uma VM de sua infraestrutura para o Azure.

Já se sua organização quer criar novas VMs baseada em uma imagem que você customizou, o processo é um pouco diferente. Com a VM dentro Azure, e após a customização, você irá precisar fazer os seguintes passos:

1 – Customizar a imagem;
2 – Executar o Sysprep;
3 – Utilizar a opção de “Capture” na console do Microsoft Azure;
4 – Deploy de novas VMs através de sua imagem.

A customização da imagem é basicamente o processo de configuração do Sistema Operacional da forma como sua organização precisa. Além disso, você pode instalar as aplicações de sua organização. Veja que a aplicação tem que ser compatível com o processo de Sysprep. Tradicionalmente, aplicações comuns tendem a não ter problema com isso, mas para SQL Server é necessário validar algumas configurações.

O Sysprep também é um processo simples. Dentro do Windows Server, basta executar o comando sysprep e executar o arquivo sysprep.exe. Porém, você deve marcar algumas opções para não ter problema. Em System Cleanup Action, marque Enter System Out-of-Box Experience (OOBE). Marque também a opção Generalize e mude a configuração de Shutdown Options para Shutdown. Veja abaixo:

Após executar o processo, o Windows vai desligar automaticamente. Com a VM desligada, você pode utilizar a opção na console do Microsoft Azure:

Depois você vai precisar colocar o nome do Template. Veja que você precisa confirmar que o Sysprep foi executado na VM e que a mesma será deletada:

Após o processo ser completado, você pode criar Máquinas Virtuais a partir do modelo que você criou, veja:

Espero que a dica tenha ajudado!
Até mais!

2 Responses to Gerenciando Imagens de Máquinas Virtuais com Microsoft Azure.

  1. Marco says:

    Olá Vinicius, já tentou fazer isto com o windows xp. Tenho uma maquina virtual, em virtual pc e não estou a conseguir efectuar o provisioning.
    Dá sempre time out. O sysprep aparentemente corre bem assim como o upload do vhd para o azure através de power shell. No entanto quando crio a maquina virtual através da imagem fica em Running (Provisioning) e mais tarde Provisioning Time Out. Existe algum tipo de log?

    Obrigado

    • vrapolinario says:

      Olá Marco, tudo bem?
      De fato não tentei. Em teoria deveria rodar sem problemas. Mas veja que desde Abril o Windows XP não possui mais nenhum tipo de suporte da Microsoft. Veja este post que fiz sobre o assunto: http://admderedes.azurewebsites.net/?p=3901.
      Não sei o motivo pelo qual você está rodando o Windows XP, mas meu conselho é migrar para um SO mais novo. ;)

      Abraços!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>